Calistenia: conheça os benefícios dessa prática!

U Fabíola Cunha    t 18 de abril de 2017


Não há atalho para realizar movimentos avançados, mas eles vêm como uma recompensa que qualquer um pode enxergar.

Ultimamente tem se falado muito sobre um tipo de treinamento chamado calistenia. É uma modalidade que existe há muito tempo e não exatamente um fenômeno novo. Antes da invenção dos equipamentos de musculação, a humanidade mantinha-se forte e ágil usando nada mais que a resistência do próprio peso. Flexões, agachamentos e pranchas, por exemplo, não são novidade.

calistenia

Uma das coisas mais interessantes sobre calistenia é que ela celebra os movimentos que usam o corpo todo de forma harmônica, ao invés de isolar partes do corpo e treiná-las uma de cada vez.

Não há dúvidas de que certos exercícios enfatizam certos grupos musculares, mas o isolamento total em qualquer modalidade é impossível. Na calistenia, a ideia não é isolar, mas sim valorizar o corpo como um todo: em um exercício de barra, embora sejam os braços que puxem o corpo para cima e para baixo, todos os músculos devem estar trabalhando para que o movimento seja completo.

Abdominais

calistenia

Os exercícios de calistenia começam no meio, porque quando o treino é feito com o peso do corpo, se usa os abdominais para cada exercício. Para treinos específicos, o trabalho de abdominais é bem intenso.

Braços

calistenia

As barras também são de grande ajuda nesse caso, as melhores amigas de quem pratica a calistenia.

Costas, ombros e peito

calistenia

As flexões de braço são indispensáveis. Elas podem partir do mais básico e progredir para variações que dificultam e, consequentemente, fortalecem a região. Não deixe de ver nossa matéria sobre os benefícios e a maneira correta de fazer flexão de braço.

Pernas

calistenia

Quando você treina as penas usando apenas o peso do corpo, elas ficam muito fortes. Não apenas pela resistência externa, mas pela manipulação da gravidade e por realizar movimentos completos. Agachamento com o peso do corpo vão até o chão – nádegas até os tornozelos.


Deixe uma resposta