Corrida: por que o primeiro quilômetro é tão difícil?

U Fabíola Cunha    t 17 de março de 2017


Por que o primeiro quilômetro é tão difícil? Acordar cedo, colocar o tênis e a roupa apropriada e partir para a rua, o parque, a estrada…ou mesmo a esteira da academia, pode ser um desafio gigante.

Mas a preguiça e a falta de vontade não podem ser as únicas culpadas. Há fatores fisiológicos que transformar o início, seja o sair da cama até completar o primeiro quilômetro, em uma epopéia.

Falta aquecimento

Alongamento antes ou depois do treino?

É preciso dar ao corpo a chance de passar de um estado anaeróbico para um estado aeróbico. Simplesmente não há oxigênio o suficiente para manter o ritmo desejado, fazendo com que o corredor respira mais rápido e lute para atingir a velocidade desejada. Se a corrida começa de manhã, é possível que o atleta esteja “acordando” no início da corrida. Adicionar alguns exercícios de aquecimento, principalmente em dias mais frios, é o ideal.

Confira também nosso artigo sobre como evitar lesões na corrida.

Falta ritmo

corrida

É difícil estabelecer um ritmo coeso no primeiro quilômetro, então o ritmo pode ficar muito acelerado ou muito lento. O corpo funciona como um metrônomo – aparelho usado por músicos para ritmar a melodia – e precisa de ajuste no princípio.

Falta foco

corrida

Tênis, roupas e pista à frente não são o suficiente para resolver o problema do foco, independente se a corrida é de longa distância ou de velocidade.

Falta endorfina

corrida

Alguns estudos apontam para o fato de que a endorfina (o hormônio do bem estar) começa a entrar em operação a partir de 10 minutos de exercícios físicos – mais ou menos quando se completa o primeiro quilômetro.

Não deixe de ver também: Intensifique sua corrida e melhore os resultados


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *