Depressão e Obesidade – O que é? Como tratar?

U Marcos A.    t 25 de fevereiro de 2014


O que os cientistas jé descobriram é que há uma estreita relação entra a depressão, uma doença psiquiátrica, e a obesidade, que é caracterizada por um distúrbio alimentar. Ainda não se sabe o que desencadeia um ou outro, qual vem primeiro. Porque tem gente que come por estar triste e como alimentos cheios de gorduras e doces fazem com que o nosso cérebro libere substâncias que conseguem nos deixar um pouco mais alegres, mas também há aqueles que se sentem culpados por comer o que não deveriam e isso pode desencadear um quadro depressivo.

Depressão e obesidade

Esse problema atinge tanto homens quanto mulheres. O número de homens nessa situação cresceu bastante nos últimos anos, pois eles se tornaram tão vaidosos quanto ao sexo oposto e preocupados com a forma física. Mas as mulheres ainda conseguem ganhar a competição. Elas são as mais prejudicadas porque a sociedade é mais exigente e mais crítica com o sexo feminino. Como as roupas são mais justas e desenham mais o corpo, é mais fácil perceber uma gordurinha a mais no corpo delas do que no deles e isso pode causar um grande transtorno.

Depressão e obesidade

Infelizmente, é muito difícil para a maioria das pessoas entenderem que nem todo mundo precisa ser igual as modelos magérrimas ou ter corpos esbeltos, cheios de curvas e bem delineados. O mais importante mesmo é a saúde, mas pouca gente se preocupa com isso. Quer apostar? As pessoas vão para as academias todos os dias e quando chega próximo da época do verão, elas ficam completamente lotadas. Se todas estas pessoas estivessem realmente preocupadas com a saúde começariam um treino tão intenso como a musculação exatamente numa época na qual os biquínis e as sungas são peças tão necessárias? E quanto tempo tem que você foi ao médico fazer um check up? Melhor pegar o calendário.

Depressão e obesidade

Apelidos

Tudo pode começar já na infância. As crianças costumam ser grosseiras e mau educadas e não costumam aceitar quem é diferente da maioria. Os garotos começam a ser excluídos os jogos e passam a maior parte do tempo sozinho na hora do intervalo da escola. As garotas também fazem a mesmo coisa com aquela menina mais “cheinha”. Quando a adolescência chega, os problemas triplicam. Apelidos como rolha de poço ou baleia passam a ser perfeitamente comuns. Os meninos sofrem com a questão da virgindade e de fazer o seu papel de “homem”. As meninas caçoam da colega que nunca beijou na boca e acabam atribuindo ao fato dela ser gorda.

Depressão e obesidade

Muitos jovens começam a parecer mais tímidos, não apenas na escola, mas também em casa. Afinal se não foram percebidos, passarão ilesos pelas piadas dos colegas. Os parentes também costumam fazer certas brincadeiras não muito saudáveis, alguns tentam controlar o que o outro como que maneira nada aceitável. E com isso o tempo vai passando e um quadro depressivo se instala sem que seja percebido, quando se dão por conta, já pode ser tarde. A saída é tomar remédios controlados e tentar seguir em frente.

Os problemas da obesidade

A obesidade se tornou um problema de saúde pública de tanto que retira dos cofres públicos. Várias doenças podem estar associadas como problemas cardíacos, circulatórios, respiratórios, articulares como dores nas colunas e outras. O desespero pelo comida é tão grande, que saber que ela está lá dentro da geladeira apenas esperando para ser consumida não nos permite esperar para saboreá-la no dia seguinte. Tudo tem que ser agora e tem que ser já! Isso se dá principalmente pela grande facilidade de encontrar comida a qualquer hora e em qualquer lugar.

Depressão e obesidade

É possível consumir um hambúrguer com batatas fritas e refrigerantes a qualquer hora e em qualquer lugar. Com o ritmo de vida cada vez mais acelerado, há muito tempo para o trabalho e pouquíssimo para cuidar da saúde. As pessoas não querem mais preparar a sua própria comida, mesmo que seja uma salada que é prática e rápida de fazer. Elas já querem tudo pronto, enlatado e ensacado como numa prateleira de supermercado. Falando nisso, você percebeu o que coloca no carrinho de compras? Os supermercados estão cheios de salgadinhos e biscoitos recheados, tudo prático e pronto para ser consumido na hora. As propagandas são apelativas e induzem o consumidor a ingerir uma coisa que talvez, ele nem esteja com tanta vontade assim.

Depressão e obesidade

Solução

Não há uma solução palpável ou uma pílula milagrosa que resolva tudo, mas esforço e dedicação podem ajudar. Pode ser difícil, mas mudar os hábitos alimentares vai te ajudar muito. Assim como os alimentos, realizar exercícios físicos também fazem o corpo produzir substâncias como as endorfinas, que nos proporcionam uma sensação de prazer e satisfação. Você se sentirá mais disposto e ficará muito feliz e orgulhoso de si quando notar que as roupas estão mais folgadas e as pessoas começarem a te elogiar pela sua nova aparência. Todos esses resultados serão fruto do seu esforço.

Depressão e obesidade

Se a depressão já se instalou, o melhor que pode fazer, além do descrito acima, é procurar ajuda profissional. Ainda há muito preconceito rondando a psiquiatria. A ideia de que o psiquiatra é “médico de gente doida” ainda prevalece na cabeça de muita gente pouco esclarecida, principalmente dos considerados de baixa renda, que possuem pouca instrução. O principal é identificar o problema a tempo e procurar dar um fim em todos os transtornos. Tenham sempre em mente que a sua saúde é o seu bem mais precioso, mesmo que você não use tamanho 38!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *