Estudos mostram que pouco exercício também tem benefícios

U Fabíola Cunha    t 18 de novembro de 2016


Muitas pessoas dedicam horas do dia para se exercitar, mas estudos publicados ao longo dos anos mostram que mesmo um pouco de exercício faz bem.

Coração

exercício

Por exemplo, um estudo publicado no American Journal of Hypertension demonstrou que de 61 a 90 minutos de exercícios distribuídos em uma semana é mais benéfico em baixar a pressão sistólica (o número maior) que 30 a 60 minutos por semana. Mas exercitar-se por mais que 90 minutos por semana não se mostrou mais eficaz.

Agora um novo estudo publicado na revista The Lancet descobriu que pacientes cardíacos que se comprometeram a se exercitar por pelo menos 30 minutos, cinco vezes por semana, economizaram o equivalente a R$ 10 mil em tratamentos médicos na comparação com aqueles que não fizeram exercícios, o que sugere que os exercícios físicos ajudam a frear o desenvolvimento de doenças e complicações.

Dica: Confira também nossa matéria sobre a ordem correta dos exercícios.

Diabetes Tipo 2

exercício

30 minutos de treino por semana é tão eficiente quanto treinos que duram mais tempo em relação à diminuição do risco de desenvolver diabetes do tipo 2, de acordo com um estudo recente publicado. Os participantes completaram treinos de 10 minutos que incluíam aquecimento, três corridas de 20 segundos e intervalos para repouso ou pedalaram 45 minutos em ritmo leve. Depois de 12 semanas, os dois grupos (de corridas e pedaladas) apresentaram melhorias similares na sensibilidade à insulina – uma forma de marcar como o corpo regula o açúcar no sangue.

Câncer

Exercícios

Exercícios físicos comprovadamente diminuem o risco de câncer de mama, colon e endométrio. A American Cancer Society recomenda 150 minutos de exercícios moderados por semana, ou 75 minutos de exercícios intensos. Um estudo da revista Breast Cancer Research and Treatment comprovou que uma corrida de 1 hora num ritmo de 1 km a cada 10 minutos – ou caminhada de 4 horas por semana num ritmo de 30 minutos por quilômetro – diminui o risco de câncer de mama em 3%.

Stress e depressão

exercício

Só é preciso uma sessão rápida para suar um pouco, depois de um longo dia, para que uma pessoa perceba o quanto o exercício físico ajuda a dissipar o stress. De todos benefícios, esse é o que pode ser atingido de imediato.

Para além do stress do dia a dia, exercícios físicos podem aliviar os sintomas da depressão. Em um estudo publicado pela revista American Journal of Preventative Medicine, mulheres que conviviam com a depressão e praticavam 200 minutos de caminhada por semana (ou 150 minutos de exercícios diversos e moderados), apresentaram melhora em sua saúde mental, funcionamento social, saúde física e vitalidade.

Outra pesquisa, publicada na revista Harvard Special Health Report, descobriu que andar 35 minutos por dia, cinco vezes por semana (ou 60 minutos, três vezes por semana), pode melhorar de forma significativa sintomas leves a moderados de depressão. Caminhar apenas 15 minutos por dia, cinco vezes por semana, ou se alongar três vezes por semana é menos efetivo.


Deixe uma resposta